24 de Março de 2017
Utilize as teclas de atalho Alt+2 para navegar para a área de pesquisa do sítio web.
Utilize as teclas de atalho Alt+1 para navegar para a área de conteúdos do sítio web.

Ourivesaria

A colecção do Palácio de Mafra inclui ourivesaria civil e religiosa, de origem portuguesa, italiana e ainda britânica, datada dos séculos XVIII e XIX, com tipologias muito diferenciadas.

O núcleo sacro de origem romana, encomenda de D. João V, segue a regra de S. Carlos Borromeu, caucionada em Lisboa provavelmente por João Frederico Ludovice, arquitecto do Paço de Mafra, mas ourives de formação.

Cálices e respectivas patenas de Giacomo Pozzi (1682-1735) relicários de Antonio Arrighi (1687-1776), um dos ourives que mais trabalhou para Portugal  ou uma píxide de Giovanni Paolo Zappati (1691-1758) são representativos da produção romana da época.

Ainda de destacar uma crossa de báculo em prata lavrada e dourada com as figuras de S. Agostinho, S. Gregório Magno e os apóstolos Paulo, Pedro, Mateus e Tiago Maior, e um relicário em ébano e prata representando cenas da Paixão.

Na esfera palaciana, o acervo compreende bacias, gomis, castiçais, leiteiras, escrivaninhas, sendo algumas peças armoriadas.
De entre estas, uma escalfeta/aquecedor de cama em prata com as Armas de D. João V, possivelmente em uso nos aposentos deste Rei e um curioso frasco/botija de cama do século XIX.


Aquecedor de cama 1.ª metade do séc. XVIII  Custódia Roma 1730 
Aquecedor de cama 1.ª metade do séc. XVIII  Custódia Roma 1730 

Cálice em prata dourada Giacomo Pozzi 1730  Relicário ostensório Antonio Arrighi c. 1730 
Cálice em prata dourada Giacomo Pozzi 1730   Relicário ostensório
Antonio Arrighi c. 1730

Lista de Conteúdos

  • Recomende este sítio web

Serviços do Site

Rodapé